Follow by Email

Total de visualizações de página

Sou muito humorado. Se bem ou mal, depende da situação...

Em 1989 o HIV invadiu meu organismo e decretou minha morte em vida. Desde então, na minha recusa em morrer antes da hora, muito aconteceu. Abuso de drogas e consequentes caminhadas à beira do abismo, perda de muitos amigos e amigas, tratamentos experimentais e o rótulo de paciente terminal aos 35 quilos de idade. Ao mesmo tempo surgiu o Santo Graal, um coquetel de medicamentos que me mantém até hoje em condições de matar um leão e um tigre por dia, de dar suporte a meus pais que se tornaram idosos nesse tempo todo e de tentar contribuir com a luta contra essa epidemia que está sob controle.



Sob controle do vírus, naturalmente.



Aproveite o blog!!!



Beto Volpe



terça-feira, 26 de junho de 2012

O povo do futuro

Descrição da imagem: mapa do Brasil em branco com relevos de uma face, olhos, nariz e boca como uma máscara de teatro com a língua para fora, ironizando a expressão 'país do futuro', que tanto mal faz a todos.


Agora mesmo aconteceu uma situação que julgo emblemática com relação ao brasileiro, o povo do futuro. Estava eu no jardim de minha casa, absorto em pensamentos matinais, quando parou um automóvel popular avançando em dois palmos o rebaixamento da calçada de casa. O 'cidadão' que estava indo para o escritório de advocacia vizinho, saiu do carro, observou que estava irregular, olhou para mim e, com um sorriso mais que forçado, argumentou: 

- São só dois minutinhos, ok? Volto já!

Pois é, o sujeito sequer perguntou se eu planejava sair com o carro.  Ate pensei no Willy Wonka dizendo: 'Então você está indo atrás de seus direitos? Fale-me mais sobre não se importar com o dos outros.'. Ele achou mais prático justificar do que puxar o carro dois palmos à frente, onde havia espaço de sobra. Não tenho dúvidas que ele é daqueles que param em vagas reservadas para idosos ou pessoas com deficiência nas ruas, em shoppings e supermercados, sempre com o mesmo argumento dos dois minutinhos.

Será isso um traço característico do povo brasileiro? De querer levar vantagem em tudo sabendo, no fundo, que só está perpetuando a própria miséria e exclusão? Veremos este ano, em todos os rincões do Brasil varonil, o saldão do voto popular, onde a moeda pode ser o material pro puxadinho, uma colocação na máquina pública ou, simplesmente, ser amigo do Candidato de Tal e reforçar algum poder comunitário, normalmente escuso.

Também por conta desse pensamento que algumas seitas neopentecostais estão se dando tão bem ultimamente. É muito mais fácil você pagar um pedágio e ter o direito de demandar o acesso ao Trono do Senhor por uma via pavimentada de facilidades do que encarar as dificuldades e vencê-las pelo mérito, não pela quitação do carnê. Sendo assim, eu posso falar de ódio, excluir seres humanos iguais a mim (afinal, somos ou não somos todos iguais perante a Ele?), não cumprir com as obrigações familiares se eu congregar e, acima de tudo, mantiver o carnê em dia.

Dia desses estava assistindo a um dos inúmeros e intermináveis programas do apóstolo Valdemiro Santiago onde o especulador celestial, ao final de uma sessão de exorcismo, anuncia ao rebanho ali reunido que isso se devia à 'Glória do carnê em dia'. Em outras palavras, por que vou me preocupar em ser um cidadão exemplar se posso solucionar qualquer desvio de conduta subornando a Deus? E pouco importa se o Livro Sagrado diga exatamente o oposto, o que vale é a conveniência do caminho mais curto. Fazenda de 50 milhões, jatinhos e gravações comprometedoras? Bobagem, coisa de infiéis que irão arder após o Arrebatamento!

O brasileiro reclama da corrupção da classe política, mas ele é o primeiro a se colocar à venda. E se vende muito barato, se compararmos com o custo. Somos mesmo o povo do futuro, que vive comparando o Brasil a outras culturas onde a cidadania é a característica predominante e, na hora de mudar de postura, recebe um Macunaíma de frente e continua a defender piadas ofensivas e excludentes, a parar em vagas que não lhe pertencem e a votar em representantes que só irão lhe oprimir entre um abraço e um cafezinho no boteco da comunidade ou mesmo no restaurante cinco estrelas.

Tem até uma piada, que quase todo mundo conhece: Santa Paciência, a assistente de Deus desde o momento da criação, pergunta por que aquela grande porção de terra no sul do continente americano seria poupada de catástrofes naturais, ao que responde o Senhor:

- Você vai ver o povinho que eu vou botar lá...

É, Brasil, precisamos adotar o livro Chapeuzinho Vermelho para todas as séries de todos os níveis de escolaridade. O caminho mais curto é o menos sustentável e o Lobo Mau de hoje já não se esconde atrás das árvores nem se disfarça de vovozinha. Ele pouco se importa, é a cara da multidão.

Beto Volpe
 

A prioridade virou uma roubada

Pessoal, segue um artigo muito legal publicado no blog de Jairo Marques que reflete a dura realidade enfrentada por pessoas com necessidades especiais no banco, no supermercado, no aeroporto, na vida. 
Beto Volpe

Acho que todo “malacabado” e todo “véio” deste país já começou a sentir a mudança seja na fila do banco, seja na do supermercado ou do aeroporto.

Os espaços que antes eram tidos como “atendimento de prioridades” estão ficando muuuuuito zoneados, me perdoem a palavra, mas é isso mesmo.

Como tudo neste país não é feito por cidadania e sim por pressão da lei e da fiscalização, as empresas têm cumprido as regras de qualquer maneira, só para cumprir tabela mesmo.

Podem botar reparo que, como a demanda aumentou muito, os ‘dificientes’ estão saindo mais e o povão tá ficando mais velho, os espaços que antes eram pouco disputados, agora, são mais concorridos que liquidação de zorba na feira… :D

Pois bem. Se eu opto pelo caixa prioritário no local onde compro meu arroz com feijão, demoro muito mais tempo que os mortais que pegaram as filas comuns…

“Uai, tio, tá louco?! Como assim cê fala?”

Seguinte, invariavelmente, um ou dois dos caixas de “atendimento preferencial” está fechado, sabe lá Zeus a razão. Resultado, junta os “zimininos” tudo num lugar só, numa fila interminável.

A prioridade virou uma roubada. Os idosos que não aguentam ficar muito tempo em pé se digladiam pelos banquinhos disponíveis e ficam tempo demais para desempatarem suas vidas.

Anteontem fui tomar um urubuzão voador nos aeroporto das Congonhas (alguém sabe me dizer o que é uma congonha? ;) ) e quem estava à minha frente nas prioridades? Aquela moça bonita da Débora “Aseco”.

Não sei se ela está grávida ou sei lá o quê, mas, aparentemente, a danada não se encaixava no perfil para quem aquela fila era reservada. E sabem o tamanho da fila? Enooooorme.

“Mas você quer o quê? Pãozinho com manteiga e cafezinho quente?!”

Acho que esse modelo de atendimento está esgotado, pelo menos nas grandes cidades. As pessoas que são prioridades aumentaram demais em número e alguém precisa olhar para isso com seriedade.

Em diversos casos, essa “regalia” faz muito sentido. Uma mãe com bebê no colo ou carregando um moleque na barriga não pode ficar em pé por um tempão. Cadeirantes precisam de um caixa mais largo e mais baixo, velhinhos, como eu já disse, podem precisar de um apoio na hora de embalar as compras.

E o que fazer? Penso que TODOS os guichês de atendimento ao público tinham de passar a ser acessíveis e passar para a frente das filas quem o direito.

Acho que apenas aumentar o número seria uma solução paliativa, que duraria pouco tempo para ser problema de novo.  

Claro que vai dar flight, que vai dar confusão, mas algo é preciso ser feito. O que deveria ser uma “vantagem” para igualar está virando um suplício. Alguém tem mais sugestões?

Beijos nas crianças e bom final de semana!

sábado, 23 de junho de 2012

Suicídio é a segunda maior causa de morte entre jovens no mundo

Não é mole, não. Por cinco anos a partir do diagnóstico convivemos com o transtorno bipolar de meu irmão que seguiu todo o rito descrito na reportagem. Até que se foi, na quinta tentativa, há sete anos. Muitas saudades dele e preocupação com essa juventude sem referências positivas do mundo, além da tecnologia.

Descrição da imagem: pintura 'O Grito', de Munch.

Uma série de estudos publicada no periódico "Lancet" chama a atenção para um assunto tabu: o suicídio. Segundo um dos artigos, essa é a primeira causa de morte entre meninas de 15 a 19 anos. Entre os homens, o suicídio ocupa o terceiro lugar, depois de acidentes de trânsito e da violência. No Brasil, o suicídio é a terceira causa de morte entre jovens, ficando atrás de acidentes e homicídios. 

"As taxas sempre foram maiores na terceira idade. Hoje a gente observa que, entre os jovens, elas sobem assustadoramente", afirma Alexandrina Meleiro, psiquiatra do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP. Entre os jovens, a taxa multiplicou-se por dez de 1980 a 2000: de 0,4 para 4 a cada 100 mil pessoas. 

Segundo o estudo, os adolescentes evitam procurar ajuda por temerem o estigma e que rumores sobre seus pensamentos suicidas se espalhem pela escola. Há outra mudança no perfil dos que cometem suicídio. O risco, que sempre foi maior entre homens, tem aumentado entre as meninas. Segundo Meleiro, isso se deve a gestações precoces e não desejadas, prostituição e abuso de drogas. 

SILÊNCIO
O problema, porém, é negligenciado, como mostram dados da OMS (Organização Mundial da Saúde). A entidade afirma que os casos de suicídio aumentaram 60% nos últimos 45 anos e que 1 milhão de pessoas no mundo morrem dessa forma por ano. No Brasil, estima-se que ocorram 24 suicídios por dia. O número de tentativas é até 20 vezes maior que o de mortes. 

"O suicídio é uma epidemia silenciosa. E o preconceito em torno das doenças mentais faz com que as pessoas não procurem ajuda", diz Meleiro. Cerca de 90% dos suicídios estão ligados a transtornos mentais. 


Editoria de arte/folhapress
Segundo a OMS, pouco tem sido feito em termos de prevenção. Os pesquisadores, da Universidade de Oxford e da Universidade Stirling, na Escócia, dizem que mais pesquisas são necessárias para compreender os fatores de risco e melhorar a prevenção. Uma estratégia é limitar o acesso a meios que facilitem o suicídio, como armas. 

Meleiro diz ainda que as pessoas costumam dar sinais antes de uma tentativa. "Acredita-se que perguntar se a pessoa tem pensamentos suicidas vai estimulá-la, mas isso pode levá-la a procurar ajuda." A psiquiatra da infância e da adolescência Jackeline Giusti, do Hospital das Clínicas da USP, afirma que é importante prestar atenção a sinais de automutilação nos adolescentes, porque a prática aumenta o risco de suicídio. 

"Professores, clínicos e pediatras têm que ficar atentos a essa possibilidade e investigar. É um sinal de que algo não está legal e merece cuidados. Em geral os adolecescentes que se mutilam são deprimidos, têm ansiedade e têm uma dificuldade enorme pra dizer o que estão sentindo ou para pedir ajuda."

sexta-feira, 22 de junho de 2012

CRONOBIOGRAMA FEMININO


Pessoal, pra relaxar um pouco em tempos sombrios...
Beto Volpe


1 aos 5 anos:
A mulher não tem a mínima idéia do que ela seja.

5 aos 10 anos:
Sabe que é diferente dos meninos, mas não entende o porquê.

10 aos 15 anos:
Sabe exatamente por que é diferente, e começa a tirar proveito disso.

15 aos 25 anos:
É a fase da "poderosa"... pode tudo e com jeitinho consegue tudo o que quer.

25 aos 30 anos:
Nessa fase formam 5 grupos distintos:

G1
As que casaram
por dinheiro
G2
As que casaram
por amor
G3
As que não casaram
G4
As que simplesmente casaram
G5
As inteligentes

G1: descobrem que dinheiro não é tudo na vida, sentem falta de uma paixão..
G2: descobrem que paixão não é tudo na vida, sentem falta do dinheiro.
G3: não importa o dinheiro e a paixão, sentem falta mesmo é de um homem .
G4: não entendem por que casaram.
G5: descobrem que ter inteligência não é tudo na vida.

30 aos 35 anos:
Sabe exatamente onde errou e tinge o cabelo de loiro. Vai para academia.

35 aos 40 anos:
Procura ajuda espiritual.

40 aos 45 anos:
Abandona a ajuda espiritual e procura ajuda médica, com analistas e cirurgiões plásticos.

45 aos 50 anos:
Graças aos cirurgiões sua bunda e barriga voltaram ao normal, seus peitos ficaram melhores do que eram e explode uma paixão pelo seu analista.

Após os 50 anos
FINALMENTE SE DESCOBRE, SE ACEITA E COMEÇA A VIVER !!!!

...Mas, aí vêm a osteoporose e o reumatismo e fode tudo.

Pesquisadores italianos desenvolvem novo coquetel contra Aids


Pesquisadores italianos desenvolvem novo coquetel contra Aids 


Descrição da imagem: cartelas de medicamentos coloridas que, espera-se, estejam com seus dias contados.

De acordo a agência de notícias Ansa, um grupo de pesquisadores do Instituto Superior de Saúde da Itália descobriu uma nova forma de coquete de drogas que "orientam" o sistema imunológico a controlar o vírus da Aids, sem que precisem de tratamento farmacológico.

Os primeiros testes foram feitos em macacos, que renderam bons resultados. Os cientistas desenvolvem um coquetel específico de medicamentos que, administrados por um período limitado de tempo, foi capaz de induzir o organismo animal ao autocontrole da infecção.

Agora, para a experimentação em seres humanos, a pesquisa depende de financiamento.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Uma lufada que abalou São Paulo 2 - O retorno


Descrição da imagem: foto do candidato do PT à prefeitura de SP ladeado por Lula e Maluf, super sorridentes e apertando as mãos, tendo ao fundo um jardim. Quem será o fruto proibido dessa história?


Traição é quando alguém em quem você confia contraria o pacto estabelecido e te fere de alguma forma. Dizem que quando isso acontece pela segunda vez, é burrice ou quem foi traído o fez por merecer. Não é a primeira vez que o PT decepciona suas fileiras ao, literalmente, abrir as pernas para setores que representam tudo contra o que lutara no passado.

Primeiro vieram as alianças com partidos que predominam nas bancadas evangélica e ruralista do Congresso Nacional, em nome da governabilidade. Os resultados negativos já começaram a ser sentidos pelas populações mais estigmatizadas de nossa sociedade que, sem força política efetiva, assistem a um grande retrocesso em políticas públicas que têm por objeto a dignidade humana, princípio de nossa Constituição Federal. 

Agora o país quedou estarrecido ao ver estampado na mídia um aperto de mãos jamais cogitado por qualquer cidadão alheio aos podres meandros da política partidária. Lula e Maluf, símbolos do antagonismo nos anos de chumbo da ditadura militar, selaram a união de seus partidos, batizada com a usual troca de interesses: um cargo no governo federal por pouco mais de um minuto de propaganda eleitoral.

Quanta tristeza, meu Deus. Meus pais malufistas não conseguem disfarçar o sorriso irônico e eu, o meu constrangimento e minha decepção. Fico imaginando, apesar de não acreditar nessa possibilidade, Silas Malafaya e Jean Willys se abraçando pelo pacto de esquecermos o PL 122 em troca de menos violência nos discursos religiosos. Tudo bem o Serra também ter disputado o apoio do ex congressista pela Aliança Renovadora Nacional - ARENA - braço político dos generais de plantão no poder. Eles são e sempre foram farinha do mesmo saco e a Opus Dei, braço político da Igreja Católica, governa o estado de São Paulo há tempos. Mas... O Partido dos Trabalhadores?

Erundina, você foi e está sendo o balizamento ético dessa situação. Parabéns por sua atitude e, se você sair para governadora, terá todo meu apoio. Outra má lufada está abalando São Paulo, agora sob as bênçãos de uma esquerda cada vez mais destra. E isso não dá para engolir, assim como qualquer traição.

PT, saudações.

Beto Volpe

domingo, 17 de junho de 2012

O que é isso, companheira?

Descrição da imagem: caricatura de Dilma Rousseff vestindo short vermelho e camiseta branca com os dizeres: (agora) eu aceitei Jesus.

Reuters
Brasil, 23/05/2028.

Quarenta anos após a promulgação do Estado Laico pela Constituição de 1988 o presidente da República Marcelo Crivella sancionou agora à tarde uma grande reforma constitucional elaborada pela Assembléia de Deus Constituinte, onde finalmente a bancada evangélica do Congresso Nacional conseguiu aprovar a adoção do evangelismo como religião oficial e o banimento de religiões de matrizes africana e oriental das práticas autorizadas, assim como qualquer forma de idolatria, sendo ordenada a destruição de todas as imagens existentes no país. Espiritualistas estão proibidos de realizar reuniões públicas e de propagar sua doutrina em meios de comunicação formais ou informais, sendo autorizada apenas a prática familiar. 

A homossexualidade não chegou a ser considerada crime como queria um grande número de constituintes, mas esse segmento foi desprovido de todos os seus direitos, sendo passíveis de despejo e demissão sem justa causa, dentre outras limitações. Travestis e transexuais são proibidas de se expor publicamente no período diurno e a prática da prostituição está terminantemente vedada, sujeitando à prisão todos os envolvidos. A execução por injeção letal foi instituída como pena máxima e foi criada Milícia Familiar, envolvendo a comunidade na fiscalização do cumprimento da nova Constituição.

Com a revogação da Lei Maria da Penha e outras que garantiam direitos às mulheres, entra em vigência a figura do 'chefe de família', atribuição exclusiva dos homens, exceto autorizações expressas do Conselho Regional da Palavra, órgão deliberativo das três esferas de poder.  A imprensa será sujeita a aprovação prévia de seu conteúdo pelo DOPS - Doutrina da Ordem pela Palavra do Senhor - onde jornalistas e blogueiros deverão ser fichados. Está instituído o ensino religioso e abolida qualquer menção ou ação baseada no evolucionismo.

Os meios artístico, cultural e de moda deverão se submeter às mesmas regras 'sugeridas' à imprensa e haverá acompanhamento de um membro designado pelo DOPS, que também terá como atribuição 'adequar' e fiscalizar a atuação de conselhos profissionais, sindicatos e entidades representativas. Somente terão apoio governamental as instituições da sociedade civil que seguirem os preceitos das Escrituras e certificadas pelo mesmo CRP. Por fim, foi aprovada a mudança do nome oficial do país para República Cristã do Brasil e da inscrição na Bandeira Nacional para 'Fé em Cristo'. 

E pensar que tudo começou com um projeto de governabilidade idealizado e conduzido pelo Partido dos Trabalhadores, do qual sou simpatizante desde os esforços para sua fundação, tendo votado no partido na maioria das eleições majoritárias e legislativas. E que está com o coração amargurado ao ver que o sonho de um país igualitário, tanto meu quanto da 'companheira' Dilma, está se tornando o pesadelo do país da exclusão, da censura e da quebra dos direitos humanos.

O que é isso, companheira?

Beto Volpe

sábado, 9 de junho de 2012

São Paulo é mais gay ou evangélica?

Bárbara reflexão de Gilberto Dimenstein sobre a Parada, a Marcha e o direito de ser feliz.

Descrição da imagem: Bíblia Sagrada de capa preta com o crucifixo estampado tendo um marcador de páginas com as cores do arco íris.
Os gays não querem tirar o direito dos evangélicos (nem de ninguém) de serem respeitados [...] Prefiro a alegria dos gays que querem que todos sejam alegres, inclusive os evangélicos.
Como considero a diversidade o ponto mais interessante da cidade de São Paulo, gosto da ideia de termos, tão próximas, as paradas gay e evangélica tomando as ruas pacificamente. Tão próximas no tempo e no espaço, elas têm diferenças brutais.
  
Os gays não querem tirar o direito dos evangélicos (nem de ninguém) de serem respeitados. Já a parada evangélica não respeita os direitos dos gays (o que, vamos reconhecer, é um direito deles). Ou seja, quer uma sociedade com menos direitos e menos diversidade.

Os gays usam a alegria para falar e se manifestar. A parada evangélica tem um ranço um tanto raivoso, já que, em meio à sua pregação, faz ataques a diversos segmentos da sociedade. Nesse ano, um do seus focos foi o STF.

Por trás da parada gay, não há esquemas políticos nem partidários. Na parada evangélica há uma relação que mistura religião com eleições, basta ver o número de políticos no desfile em posição de liderança. Isso para não falar de muitos personagens que, se não têm contas a acertar com Deus, certamente têm com a Justiça dos mortais, acusados de fraudes financeiras.

Nada contra – muito pelo contrário – o direito dos evangélicos terem seu direito de se manifestarem. Mas prefiro a alegria dos gays que querem que todos sejam alegres. Inclusive os evangélicos.

Civilidade é a diversidade. São Paulo, portanto, é mais gay do que evangélica.

Gilberto Dimenstein é membro do Conselho Editorial da Folha e criador da ONG Cidade Escola Aprendiz. Coordena o site de jornalismo comunitário da Folha.

Artigo publicado no portal Folha.com, em 24/06/2011.

Brasil vive "epidemia descontrolada" de Aids, diz presidente do Grupo Pela Vidda

A casa continua caindo. Ao menos cada vez mais pessoas assim o percebem e o 'melhor programa de AIDS do mundo' está cada vez mais longe de ser uma unanimidade. Parabéns, Goerge Gouvea.
BN

Descrição da imagem: sobradão branco tombado para o lado por força de alguma catástrofe natural, similar à catástrofe humanitária causada pela AIDS até hoje...

Presidente do Grupo Pela Vidda, referência no Estado do Rio no atendimento a pessoas com o HIV, o psicanalista George Gouvea vem denunciando as falhas do programa DST/Aids do Ministério da Saúde. Para ele, o Brasil vive uma “epidemia descontrolada”, ao contrário da palavra oficial do Ministério que reafirma controle da doença.

Os números oficiais dão essa certeza ao presidente do Pela Vidda. Nos últimos dez anos, pelo menos 102 mil soropositivos morreram no país e 311 mil novos casos foram notificados (dados consolidados até 2010). Apesar de os números anuais não sofrerem grandes variações (média de 11 mil mortes e 34 mil novos casos por ano), Gouvea critica o uso do termo "estabilidade" para classificar os números no Brasil. "Seria o mesmo que considerar 10 mil mortes de judeus por ano no holocausto um número estável", diz.

Em recente publicação, a Fiocruz, órgão do Governo Federal, pediu uma "correção de rumo" para o programa DST/Aids no país. "Ao contrário do que se tem observado em outros países que também instituíram programas de acesso universal ao tratamento e têm observado queda na incidência de novas infecções, o Brasil não tem conseguido diminuir a incidência do HIV/Aids", aponta o documento.

Para o presidente da ONG, campanhas de prevenção a Aids devem contar com a participação do público-alvo para a obtenção de resultados positivos.“Não tem como eu ir para uma esquina falar com uma travesti sobre prevenção, a travesti vai rir da minha cara e tem toda a razão de fazer isso”. O Grupo Pela Vidda atende cerca de 300 pessoas por mês e realiza assistência jurídica, reuniões de acolhimento e palestras, entre outras atividades.

UOL - Por que você afirma que vivemos uma “epidemia descontrolada” de Aids no país?
George Gouvea - A gente não pode admitir que existam aproximadamente 35 mil novos casos de infecção pelo vírus HIV por ano. Em dados apurados em 10 anos, até 2010, a gente vai encontrar quase 350 mil novos casos de pessoas se descobrindo soropositivas. Eu não sei que estabilidade é essa. É a estabilidade da vergonha. A gente não pode se acomodar e achar que 35 mil novos casos por ano são poucos casos. A gente não pode achar que quase 12 mil óbitos por ano seja um número interessante. Que estabilidade é essa que o governo, que o ministério da saúde diz. É a estabilidade da morte?

UOL - O que está errado no programa DST/Aids?
Gouvea - Muita coisa está errada. Nós temos um bom programa de Aids, ninguém pode dizer o contrário. A distribuição de retrovirais como política pública de saúde é realmente um marco, a gente não pode deixar de reconhecer. Mas não pode ser só isso. Não se pode apenas disponibilizar o remédio na boca da farmácia e dizer tchau, até logo. É preciso a criação de programas permanentes de prevenção, políticas, estratégias, esclarecimentos, tudo isso junto com a sociedade. Não é possível que a gente ouça a palavra Aids quando chega o verão e durante o Carnaval. É preciso se falar de Aids durante o ano todo, todos os dias. Eu deveria entrar no metrô e ver todos os dias um pôster falando de HIV. As crianças e os jovens precisam entrar nas escolas e ouvir sobre HIV. Eu fico imaginando a quantidade de pessoas que sequer ouvem a palavra Aids por meses. O assunto HIV deveria fazer parte do cotidiano da sociedade. O governo tem parcela de responsabilidade porque ele é um incentivador. Obviamente não pode fazer tudo, mas tem um papel de fomentar de provocar, de instigar e isso não está sendo feito.

Não é possível que a gente ouça a palavra Aids quando chega o verão e durante o Carnaval. É preciso se falar de Aids durante o ano todo, todos os dias
George Gouvea, presidente do Pela Vidda
 
UOL - No recente livro publicado pela Fiocruz, um dos problemas apontados é a questão do diagnóstico tardio.
Gouvea - Nós temos hoje no Brasil um índice de quase 50% de diagnóstico tardio, que é quando o sujeito se descobre com HIV já doente. Ele vai gerar uma série de custos por conta do diagnóstico tardio. Esse sujeito, quando interna, gera um custo com a permanência no hospital. Ele vai pedir licença do trabalho gerando custo para a previdência social. Mas o pior de todas essas coisas que eu acabei de falar é o sofrimento humano ao adoecer. Isso tudo poderia ser resolvido com um plano de testagem eficiente. Por que hoje nós não temos nenhum plano de testagem? Hoje existem centros de testagem a penas nas grandes cidades. É uma questão política, um cinismo para parecer que tudo funciona bem.

UOL - Não é interessante para o governo a criação de mais centros de testagem?
Gouvea - Se mais polos de testagem forem criados, vai demandar mais assistência porque mais pessoas serão diagnosticadas e essa demanda de pessoas soropositivas não vai encontrar atendimento. Se o número de testagens aumentar nós vamos ter o caos no atendimento.

UOL - A epidemia teve um crescimento espantoso na Região Norte. De 1998 a 2010 a incidência da Aids aumentou em 237,7%...
Gouvea - A tendência de uma epidemia descontrolada é que vá para o interior, é a interiorização. Se olharmos o mapa do HIV no Brasil se verifica essa tendência. Se nós já temos problemas nas grandes capitais eu fico imaginando o que será do interior.

UOL - O último boletim epidemiológico do governo federal apontou preocupação com a incidência de Aids no segmento jovem gay. Entretanto, a presidente Dilma Rousseff vetou a campanha de prevenção a Aids voltada ao público homossexual. Na propaganda vetada, um casal homoafetivo troca carícias, sequer há um beijo. Censura como essa não torna mais difícil a prevenção do crescimento do HIV no país?
Gouvea - O que a gente percebe é que nos últimos 10 anos a política nacional para DST/Aids tem sofrido alguns percalços. Isso tem nos preocupado muito. Há uma intromissão em políticas públicas de saúde no Estado laico de determinados setores religiosos. Se o Estado é laico, o nosso ordenamento político, com todo respeito, não é a Bíblia, é a Constituição. Nas últimas campanhas houve uma interferência de setores conservadores. Isso tudo foi muito triste para o movimento. Mas é importante ressaltar que essas intromissões acontecem nas esferas superiores. Porque aquele gestor que est á lá na ponta, que é nosso parceiro, que está em um determinado nível para baixo dentro do governo do Estado ou município ou governo federal, essas pessoas são parceiras. Mas acontece que elas têm limites de atuação. Por isso é preciso uma política de governo que atenda a todos os segmentos da população em parceria com a sociedade civil organizada.

UOL - E como você interpreta a vulnerabilidade do jovem gay apontada no boletim do Ministério da Saúde?
Gouvea - É comum a gente ler reportagens que dizem que está tendo mais casos com uma parcela da população. Mulheres, idosos, jovens gays. Na verdade essa é uma forma estranha de ver as coisas. O que existe é o HIV se espalhando por todo o tecido social, essa que é a realidade. Por esse motivo a gente deve ter políticas que atendam as demandas de todos os segmentos de todas as regiões do país. Eu não posso falar de HIV com um jovem gay da mesma forma que eu falo com uma pessoa da terceira idade. Se a gente não respeitar a diversidade de cada segmento fica difícil a informação chegar.

UOL - O documento publicado pela Fiocruz apontou ainda a superlotação de hospitais, a falta de leitos para pacientes soropositivos como outro grande problema. No Rio, onde é a área de atuação do Pela Vidda, a situação não é diferente. O último relatório do Ministério da Saúde como o Estado entre os cinco de maior incidência de casos no país. Você que vive esse dia a dia, qual a realidade destinada aos pacientes?
Gouvea - Nós temos muitas dificuldades. Infelizmente a questão da Aids está relegada ao décimo plano no Rio de Janeiro. Eu vou ousar dizer a você que no Rio de Janeiro, tirando o Ipec da Fiocruz que é federal, nenhum hospital, seja do município ou do Estado, recebe dignamente um doente de Aids. Nós temos falta de leitos, os pacientes com Aids, que precisam ficar em leitos isolados devido ao sistema imunológico debilitado, ficam jogados nos corredores das enfermarias com outros doentes. Faltam médicos, faltam infectologistas na rede. Se a pessoa se descobre soropositiva e procura uma unidade d e saúde, só vai ter a primeira consulta daqui a quatro, cinco meses. O sujeito que recebe aquela batata quente, o resultado na mão, não consegue atendimento imediato. Outro problema é a falta de remédios. O que a gente tem de informação é que a compra dos medicamentos está em fase de licitação. Mas há quatro meses. A gente não está falando de saco de cimento, de tijolo, de argamassa. Se o governo sabe que está acabando, tem de fazer a licitação bem antes de acabar. A gente está falando de saúde, de vida, de morte. O que acontece agora é uma licitação assassina.

São mais de 30 [mortes] por dia. É como se todo dia um ônibus caísse em uma ribanceira. Na Guerra da Síria já morreram 14 mil pessoas e a ONU está alarmada achando um crime contra a humanidade. Aqui morrem 12 mil pessoas por ano de Aids e todo mundo acha que é normal
 
UOL - O que um paciente soropositivo enfrenta, hoje, para conseguir atendimento?
Um indivíduo que se descobre soropositivo sem estar doente só consegue uma consulta depois de quatro, cinco meses. E é fundamental esse primeiro contato com o médico, porque é ele que vai esclarecer, que vai acalmar esse paciente que procura a unidade de saúde achando que vai morrer. Depois de conseguir a primeira consulta, ele vai precisar fazer um exame de sangue. Esses exames em geral demoram mais de trinta dias para ficarem prontos , o que é outro absurdo, já que na rede privada os mesmos exames ficam prontos em cinco dias. Depois, para retornar ao médico com os exames, mais quatro, cinco meses. Então esse paciente espera quase um ano para o encaminhamento do tratamento dele.

UOL - E se esse paciente se descobre com HIV já com os sintomas das doenças que afetam o sistema imunológico. O que ele enfrenta na rede pública de saúde?
Se já é um paciente doente que já apresenta a manifestação das doenças oportunistas por já estar com o sistema imunológico debilitado, esse sujeito interna e começa a sua via crucis. Ele tem de contar com a sorte de cair com um médico que perceba se tratar de um caso de HIV, mas o que geralmente acontece é o paciente chegar com, por exemplo, tuberculose em um hospital e apenas essa doença oportunista ser tratada. Não vai adiantar muita coisa. Essa pessoa fica misturada a outros pacientes, exposta a pegar outras doenças. Essa falta de estrutura da rede de saúde em todo o país resulta nesses quase 12 mil óbitos por ano. São mais de 30 por dia. É como se todo dia um ônibus caísse em uma ribanceira. Na Guerra da Síria já morreram 14 mil pessoas e a ONU está alarmada achando um crime contra a humanidade. Aqui morrem 12 mil pessoas por ano de Aids e todo mundo acha que é normal. Que estabilidade é essa?

UOL - Que tipos de projetos podem ser executados para que as campanhas contra a Aids atinjam segmentos diferentes da população brasileira?
Gouvea - Vou te dar um exemplo. Nós fizemos um projeto chamado Babadão da Prevenção voltado para garotos de programa que trabalham em saunas gays. Procuramos esses garotos, fizemos com eles um trabalho de capacitação falando sobre prevenção, o uso da camisinha. Dessa forma, esses garotos que foram capacitados passaram a conversar com outros garotos de programa usando a linguagem comum a eles, com seus próprios símbolos de comunicação. E, por consequência, esse trabalho acabou atingindo todo o universo de pessoas que frequentam aquele ambiente: os clientes, os travestis que fazem programa. Não tem como eu ir para uma esquina falar com uma travesti sobre prevenção, a travesti vai rir da minha cara e tem toda a razão de fazer isso. Por isso nós criamos um grupo que é coordenado por uma travesti. É preciso falar a mesma língua. A prevenção ao HIV só vai funcionar se conseguir atingir todo o tecido social. Se a gente não conseguir atingir todo o mosaico social, está fadado ao fracasso ou a essa estabilidade vergonhosa.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Parada Gay de São Paulo terá policiais infiltrados

A iniciativa é ótima mas... doze? Pra três milhões?

Descrição da imagem: Ai, como descrever tamanha formosura? Bem, duas trans e uma bill unifomizadas, caminhando no meio da rua entre casarões seculares, super felizes e com cara de dever cumprido...

Medida tem o objetivo de prevenir violência contra homossexuais
No Anhangabaú, feira terá oficina para drag queen, shows e orientação jurídica contra homofobia 
A Parada Gay, no domingo, terá 12 policiais da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância infiltrados no público para coibir agressões a homossexuais. "Se os policiais identificarem alguém de um grupo radical, a pessoa será abordada e monitorada durante o evento", afirmou o delegado Arlindo José Negrão. O alvo da operação são os skinheads, frequentemente envolvidos em casos de violência contra gays e lésbicas. 

A partir de 10h de hoje, vítimas do preconceito contra homossexuais poderão fazer denúncias na Feira Cultural LGBT, que acontece no Vale do Anhangabaú, centro. A ação da Secretaria da Justiça do Estado terá a participação de oito defensores públicos, que darão orientação jurídica sobre a lei que pune a homofobia em São Paulo.

Na mesma feira, haverá uma oficina de criação de drag queens. Passo a passo, "eles" se transformarão em "elas". Levarão cerca de 40 minutos só para fazer a maquiagem especial. Em outros 20 minutos, colocam a meia-calça, calcinha, corpete, roupas, salto alto e a peruca. Quem ministra a oficina é a dupla Dindry Buck e Sissi Girl, que atuam juntas há 13 anos. (Elas não revelam a idade, porque "drag é atemporal", segundo Dindry.). Além de oficinas, entre as 14h e as 17h30, a feira terá 120 tendas com comércio voltado para o público LGBT e shows. 

Fonte: FolhaSP

terça-feira, 5 de junho de 2012

Bancada religiosa: a mais ausente, inexpressiva e processada




Descrição da imagem: símbolo do 'curtir' do Facebook (sinal de positivo com o polegar para cima) com a inscrição 'Laico' abaixo.



Interessante ver como esses/as senhores e senhoras se sentem representantes do Senhor na Terra e não conseguem nem cumprir com seus compromissos perante o povo que os/as elegeu. Cheque se seu representante está aí ou o de algum amigo, pra tirar um barato na cara dele, rs... A propósito, a Assembléia de Deus de Silas, o Rabugento, lidera o ranking. Piadinha pra ele:
Vocês sabem a diferença entre Silas Malafayette e o Pokemón?
O Pokemón evolui!
Beto Volpe

31/5/2012 
Avaliação e processos em que integrantes da bancada religiosa figuram como réus. Dados do Transparência Brasil:

1) Da bancada evangélica, todos os deputados que a compõe respondem processos judiciais;

2) 95% da referida bancada estão entre os mais faltosos;

3) 87% da referida bancada estão entre os mais inexpressivos do DIAP;

4) Na última década não houve um só projeto de expressão, ou capaz de mudar a realidade do país, encabeçado por um parlamentar evangélico.

Assembleia de Deus

1 Hidekazu Takayama – PSC/PR
TRF-1 (Seção Judiciária do Distrito Federal) – Processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – de Ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal. STF – Inquérito nº 2652/ 2007 – Inquérito apura crimes contra a ordem tributária, estelionato e peculato.

2 – Sabino Castelo Branco – PTB/AM
STF – Processo nº 538 – Réu em ação penal movida pelo Ministério Público Federal por peculato.
STF – Inquérito nº 2940 – É alvo de inquérito que apura crimes contra a ordem tributária. TSE –
Processo nº 504786.2010.604.0000 - É alvo de recurso contra expedição de diploma apresentado pelo Ministério Público Eleitoral por abuso de poder econômico e uso indevido de meio de comunicação social.
TSE – Processo nº 874.2011.604.0000 - É alvo de representação movida pelo MPE por captação ou gasto ilícito de recursos financeiros de campanha eleitoral.
TRE-AM – Processo nº 90095.2002.604.0000 - Teve reprovada prestação de contas referente às eleições de 2002.
TRE-AM – Processo nº 424843.2010.604.0000 - Teve reprovada prestação de contas referente às eleições de 2010.
TRE-AM – Processo nº 485034.2010.604.0000 - É alvo de representação movida pelo MPE.TRF-1 Seção Judiciária da Amazônia – Processo nº 0001172-68.2007.4.01.3200 – É alvo de ação de execução fiscal movida pela Fazenda Nacional.
TJ-AM Comarca de Manaus – Processo nº 0039972-21.2002.8.04.0001 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Estadual.

3 – Ronaldo Nogueira – PTB/RS
TCE-RS (processo 008255-02.00/ 08-2) – Irregularidades na gestão da Câmara de Carazinho.
TCE-RS (processo 001084-02.00/ 01-0) – Idem. TCE-RS (processo 010264-02.00/ 00-4) – Idem.

4 – João Campos de Araújo – PSDB/GO
TRF-1 (Seção Judiciária do Distrito Federal – processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal.

5 – Costa da Conceição Costa Ferreira – PSC/MA
TRF-1 (Seção Judiciária do Distrito Federal) – processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal.
É alvo de ações de execução fiscal movidas pelo município de São Luís:
TJ-MA Comarca de São Luís – Processo nº 7092-32.2007.8.10.0001.
TJ-MA Comarca de São Luís – Processo nº 1793-35.2011.8.10.0001

6 – Antônia Luciléia Cruz Ramos Câmara – PSC/AC
TRE-AC – processo 497/ 2002 – Teve reprovada a prestação de contas referente às eleições de 2002. É alvo de ações penais movidas pelo Ministério Público por crimes eleitorais (peculato/captação ilícita de votos ou corrupção eleitoral).
STF – processo 585. STF – Processo nº 587. TRE-AC – processo 177708/ 2010
– É alvo de inquéritos que apuram crimes eleitorais e contra a administração em geral:
STF – inquérito 3083, TRE-AC – Inquérito 245, STF – Inquérito nº 3133.
É alvo de ações de investigação judicial eleitoral por abuso de poder econômico:
TRE-AC – processo 142143/ 2010, TRE-AC – processo 178782/ 2010, TRE-AC – processo 142835/2010 . É alvo de representações movidas pelo MPE por captação ilícita de sufrágio e/ ou captação ou gasto ilícito de recursos financeiros de campanha eleitoral: TRE-AC – processo 180081/ 2010, TRE-AC – processo 194625/ 2010 e TRE-AC – processo 142058/ 2010

7 – Cleber Verde Cordeiro Mendes – PRB/MA
STF – processo 497/2008 – É alvo de ação penal movida pelo Ministério Público Federal por crimes praticados contra a administração em geral (inserção de dados falsos em sistema de informações).
TRE-MA – processo 603979.2010.610.0000 - É alvo de ação de investigação judicial movida pelo Ministério Público Eleitoral por uso de poder político e conduta vedada a agentes públicos.

8 – Nilton Baldino (Capixaba) – PTB/RO
STF – Processo nº 644 – Acusado de envolvimento com a máfia das ambulâncias, é réu em ação penal movida pelo Ministério Público Federal por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.
TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal – Processo nº 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo MPF.
TRF-1 Subseção Judiciária de Ji-Paraná – Processo nº 0000432-26.2007.4.01.4101 – É alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo MPF por envolvimento com a máfia das ambulâncias.

9 – Silas Câmara – PSC/AM
STF – inquérito 2005/2003 – É alvo de inquérito que apura peculato e improbidade administrativa.
STF – inquérito 3269 e STF – inquérito 3092 – É alvo de inquéritos que apuram crimes eleitorais.
TRF-1 Seção Judiciária da Amazônia – processo 0004121-02.2006.4.01.3200 – É alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Federal.
É alvo de representação e ações de investigação judicial movidas pelo Ministério Público Eleitoral por captação ilícita de sufrágio e abuso de poder econômico:
TRE-AC – processo 180081.2010.601.0000,
TRE-AC – processo 142835.2010.601.0000,
TRE-AC – processo 178782.2010.601.0000,
TRE-AM – processo 73203919.2005.604.0000
- O PTB teve reprovada a prestação de contas referente ao exercício financeiro de 2004, quando o parlamentar era ordenador de despesas do partido em nível estadual.

10 – José Vieira Lins (Zé Vieira) – PR/MA
É alvo de inquéritos que apuram crimes de responsabilidade, peculato e sonegação de contribuição previdenciária:
STF – inquérito 3051, STF – inquérito 3078, STF – inquérito 2945, STF – inquérito 2943, STF – Inquérito 3047.
É alvo de ações civis públicas, inclusive de improbidade administrativa, movidas pelo Ministério Público e pelo município de Bacabal:
TRF-1 Seção Judiciária do Maranhão – processo 0005980-37.2008.4.01.3700, TJ-MA Comarca de Bacabal – processo 378-16.2009.8.10.0024, TJ-MA Comarca de Bacabal – processo 1771-15.2005.8.10.0024, TJ-MA Comarca de Bacabal – processo 279-56.2003.8.10.0024.
É alvo de ações de execução movidas pela Fazenda Nacional — por exemplo: TRF-1 Subseção Judiciária de Bacabal – processo 0000629-69.2011.4.01.3703, TRF-1 Subseção Judiciária de Bacabal – processo 693-79.2011.4.01.3703, TRF-1 Subseção Judiciária de Bacabal – processo 0000908-55.2011.4.01.3703, TJ-MA Comarca de São Luís – Processo 6007-40.2009.8.10.0001.
Foi responsabilizado por irregularidades em convênios e aplicação de recursos e teve contas reprovadas: TCU – Acórdão 5659/ 2010, TCU – Acórdão 3577/2009, TCU – Acórdão 3282/2010, TCU – Acórdão 2679/2010, TCU – Acórdão 749/2010, TCU – Acórdão 1918/ 2008 (teve o nome incluído no TCU – Cadastro de responsáveis com contas julgadas irregulares). TCU – Acórdão 801/ 2008 (teve o nome incluído no TCU – Cadastro de responsáveis com contas julgadas irregulares). TCE-MA – processo 2600/1999 e TCE-MA – processo 3276/2005.

11 – Marcelo Theodoro de Aguiar – PSC/SP
TRE-SP – Processo 1077244.2010.626.0000 – Teve reprovada prestação de contas referente às eleições de 2010.

Igreja Presbiteriana

1 – Leonardo Lemos Barros Quintão – PMDB/MG
STF – Inquérito nº 2792 - É alvo de inquérito que apura crimes eleitorais.
TJ-MG Comarca de Belo Horizonte – Processo nº 5034047-88.2009.8.13.0024
– É alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Estadual.

2 – Edmar de Souza Arruda – PSC/PR
STF – inquérito 3307 – É alvo de inquérito que apura crimes contra o meio ambiente e o patrimônio genético.

3 – Edson Edinho Coelho Araújo (Edinho Araújo) – PMDB/SP
STF – Inquérito nº 3137 – É alvo de inquérito que apura crimes previstos na lei de licitações.
TJ-SP Comarca de São José do Rio Preto – Processo 576.01.2009.043791-5 – É alvo de ação de execução fiscal movida pela Fazenda estadual. É alvo de ações de improbidade administrativa movidas pelo Ministério Público Estadual: TJ-SP (segunda instância) – processo 9035424-43.2006.8.26.0000, TJ-SP (Comarca de São José do Rio Preto) – Processo nº 576.01.2010.062759-8. O TCE-SP julgou irregulares processos licitatórios e contratos firmados pela prefeitura de São José do Rio Preto: TCE-SP – processo 2832/008/04, TCE-SP – processo 313/008/02, TCE-SP – processo 2432/008/07

4 – Benedita Souza da Silva Sampaio – PT/RJ
TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal – Processo 0031294-51.2004.4.01.3400 - É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal.
É alvo de ações de improbidade administrativa: TJ-RJ (Comarca do Rio de Janeiro) – processo 0040421-83.2007.8.19.0001, TJ-RJ (Comarca do Rio de Janeiro) – processo 0050419-80.2004.8.19.0001 e TJ-RJ (Comarca do Rio de Janeiro) – processo 0372416-70.2009.8.19.0001.

5 – Anthony William Garotinho Matheus De Oliveira (Anthony Garotinho) – PR/RJ
É alvo de inquéritos que apuram crimes eleitorais:
STF – Inquérito 2601/2007,
STF – inquérito 2704/2008,
TRF-2 (Seção Judiciária do Rio de Janeiro – Processo nº 2008.51.01.815397-2
– É réu em ação penal referente à máfia dos caça-níqueis e movida pelo Ministério Público Federal por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, corrupção e crimes contra a administração pública. Chegou a ser condenado a dois anos meio de prisão. A pena foi convertida em prestação de serviços e suspensão de direitos.
É alvo de ações de improbidade administrativa:
TJ-RJ Comarca de Nova Iguaçu – processo 0026769-53.2005.8.19.0038,
TJ-RJ Comarca de São Fidelis – processo º 0000249-07.2011.8.19.0051,
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0050419-80.2004.8.19.0001,
TJ-RJ Comarca de Campos dos Goytacazes – processo 0011729-64.2009.8.19.0014,
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0040380-19.2007.8.19.0001,
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0040412-24.2007.8.19.0001, TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0039456-08.2007.8.19.0001,
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0064717-67.2010.8.19.0001,
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0183480-95.2008.8.19.0001,
TRE-RJ – processo 764689.2008.619.3802
- Em ação judicial eleitoral, foi condenado por abuso de poder econômico e uso indevido de veículo de comunicação social. A Justiça decretou inelegibilidade.

Igreja Universal do Reino de Deus

1 – José Heleno da Silva – PRB/SE
É alvo de ações de improbidade administrativa movidas pelo Ministério Público Federal:
TRF-5 Seção Judiciária de Sergipe – processo 0005364-36.2010.4.05.8500,
TRF-5 Seção Judiciária de Sergipe – processo 0005511-67.2007.4.05.8500 (Acusado de envolvimento com a máfia das ambulâncias),
TRF-1 Seção Judiciária de Mato Grosso – processo 0015233-58.2008.4.01.3600
– É alvo de medidas investigatórias referentes à máfia das ambulâncias e conduzidas pelo Ministério Público Federal.
O TRE reprovou as prestações de contas do PL referentes aos exercícios financeiros de 2003 e de 2005, quando o parlamentar era dirigente do partido em nível regional:
TRE-SE – processo 34792.2004.625.0000,
TRE-SE – processo 438664.2006.625.0000

2 – Vitor Paulo Araújo dos Santos – PRB/RJ
STF – processo 592 – É réu em ação penal movida pelo Ministério Público por crimes eleitorais.

3 – Antonio Carlos Martins de Bulhões – PRB/SP
STF – inquérito 2930/ 2010 – É alvo de inquérito que apura peculato.
TRF-3 Seção Judiciária de São Paulo – Processo 0044601-82.2002.4.03.6182 – É alvo de ação de execução fiscal movida pela Fazenda Nacional.
TRF-3 Seção Judiciária de São Paulo – Inquérito 0005062-78.2003.4.03.6181 – É alvo de inquérito que apura apropriação indébita e crimes contra o patrimônio.

4 – Jhonatan Pereira de Jesus – PRB/RR
TRE-RR – processo 229176.2010.623.0000 - Teve reprovada a prestação de contas referente às eleições de 2010.

Igreja Do Evangelho Quadrangular

1 – Jefferson Alves de Campos – PSB/SP
TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal – processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal.
É alvo de ações de improbidade administrativa movidas pelo MPF por envolvimento com a máfia das ambulâncias:
TRF-3 Seção Judiciária de São Paulo – processo 0004928-22.2011.4.03.6100, TRF-3 Subseção Judiciária de Santos – processo 0000249-06.2007.4.03.6104

2 – Mário de Oliveira – PSC/MG
TRE-MG – Processo 60069.2011.613.0000 - É alvo de inquérito que apura crime eleitoral.
STF – inquérito 2727 – É alvo de inquérito que apura crimes de responsabilidade, contra a ordem tributária e previstos na lei de licitações, além de formação de quadrilha, falsidade ideológica, estelionato e lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores.

3 – Josué Bengtson – PTB/PA
TRF-1 Seção Judiciária do Pará – rocesso 3733-02.2007.4.01.3900 – É alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Federal.
TRF-1 Seção Judiciária de Mato Grosso – processo 0004032-69.2008.4.01.3600 – Acusado de envolvimento com a máfia das ambulâncias, é alvo de medidas investigatórias conduzidas pelo MPF por crimes previstos na lei de licitações.

Igreja Internacional da Graça

1- Rodrigo Moreira Ladeira Grilo – PSL/MG

2 – Jorge Tadeu Mudalen – DEM/SP
TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal – Processo 0031294-51.2004.4.01.3400 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal.

Igreja Mundial do Poder de Deus

1 – José Olímpio Silveira Moraes (missionário José Olímpio) – PP/SP
TJ-SP Comarca de São Paulo – Processo 0424086-16.1997.8.26.0053 – É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Estadual.
TJ-SP Comarca de Itu – processo 286.01.2009.514728-4 – É alvo de ação de execução fiscal movida pelo município de Itu.

2 – Francisco Floriano de Souza Silva – PR/RJ
TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0139394-68.2010.8.19.0001 – É réu em ação penal movida pelo Ministério Público Estadual por lesão corporal decorrente de violência doméstica.

Igreja Metodista

1 – Walney Da Rocha Carvalho – PTB/RJ
STF – Processo 627 - É alvo de ação penal movida pelo Ministério Público Federal por corrupção passiva.
TRE-RJ – Processo nº 197118.2002.619.0000 - Teve reprovada prestação de contas referente às eleições de 2002.
É alvo de ações de execução fiscal movidas pelo município de Nova Iguaçu e pela Fazenda Nacional — por exemplo: TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – processo 0000562-61.2010.4.02.5110, TJ-RJ Comarca de Nova Iguaçu – processo 0112599-45.2009.8.19.0038, TJ-RJ Comarca de Nova Iguaçu – processo 0083231-88.2009.8.19.0038

2 – Áureo Lidio Moreira Ribeiro – PRTB/RJ
É alvo de ações de execução fiscal movidas pela Fazenda Nacional e pelo município de Duque de Caxias:
TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – processo 0000153-61.2005.4.02.5110,
TJ-RJ Comarca de Duque de Caxias – Processo nº 0005413-58.2002.8.19.0021.

Igreja Nova Vida

1 – Washington Reis de Oliveira – PMDB/RJ
STF – processo 618 – É alvo de ação penal movida pelo Ministério Público Federal por crimes contra o meio ambiente e o patrimônio genético e formação de quadrilha.
STF – inquérito 3192 – É alvo de inquérito que apura crimes eleitorais. É alvo de ações civis públicas, inclusive de improbidade administrativa, movidas pelo Ministério Público:
TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – Processo 0007523-23.2007.4.02.5110, TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – processo 0008324-65.2009.4.02.5110, TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – Processo 0003813-92.2007.4.02.5110 (Foi condenado por improbidade administrativa, pois não houve divulgação de recursos recebidos pela prefeitura de Duque de Caxias. A Justiça determinou a suspensão dos direitos políticos, a proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios/ incentivos fiscais ou creditícios e o pagamento de multa).
É alvo de ações de execução fiscal movidas pela Fazenda Nacional e pelo município de Duque de Caxias — por exemplo:TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – processo 0004113-83.2009.4.02.5110, TRF-2 Seção Judiciária do Rio de Janeiro – processo 0004857-78.2009.4.02.5110, TJ-RJ Comarca de Duque de Caxias – processo 0223580-32.2008.8.19.0021, TJ-RJ Comarca de Duque de Caxias – processo 0223582-02.2008.8.19.0021, TRE-RJ – processo 386718.2010.619.0000
– É alvo de ação de investigação judicial movida pelo Ministério Público Eleitoral por abuso de poder econômico. TRE-RJ – processo 772.2011.619.0000
- É alvo de representação movida pelo MPE por captação ou gasto ilícito de recursos financeiros de campanha eleitoral. TRE-RJ – Processo 674343.2010.619.0000
- É alvo de representação movida pelo MPE por conduta vedada a agente público. TCE-RJ detectou irregularidades e emitiu pareceres contrários à aprovação das contas referentes à administração financeira da prefeitura de Duque de Caxias: TCE-RJ – Processo 203.163-8/10. TCE-RJ – processo 206.291.7/09

Igreja Cristã Evangélica

1 – Iris de Araújo Resende Machado – PMDB/GO
TRE-GO – Processo nº 999423170.2006.609.0000 – Teve rejeitada prestação de contas referente às eleições de 2006.

Congregação Cristã no Brasil

1 – Bruna Dias Furlan – PSDB/SP
É alvo de representações movidas pelo Ministério Público Eleitoral por conduta vedada a agentes públicos: TRE-SP – processo 15170.2010.626.0199, TRE-SP – processo 1949115.2010.626.0000

Igreja Sara Nossa Terra

1 – Eduardo Cosentino da Cunha - PMDB/RJ
STF – inquérito 2984/ 2010 – É alvo de inquérito que apura uso de documento falso. STF – inquérito 3056
– É alvo de inquérito que apura crimes contra a ordem tributária. TRF-1 Seção Judiciária do Distrito Federal – processo 0031294-51.2004.4.01.3400
– É alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal. TJ-RJ Comarca do Rio de Janeiro – processo 0026321-60.2006.8.19.0001
- É alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Estadual. TRE-RJ – processo 59664.2011.619.0000
– Alvo de representação movida pelo Ministério Público Eleitoral por captação ilícita de sufrágio. TRE-RJ – processo 9488.2010.619.0153
– Alvo de ação de investigação judicial eleitoral movida pelo MPE por abuso de poder econômico. TSE – processo 707/2007
– Alvo de recurso contra expedição de diploma apresentado pelo MPE por captação ilícita de sufrágio.

domingo, 3 de junho de 2012

Dilma quer acabar com aluguel de horário na TV

Ufa, até que enfim algo vai ser feito contra essa lavagem cerebral e a prática de estelionato na grade televisiva de nosso país em discursos recheados de ódio e preconceito. Tirando o equívoco do jornalista ao dizer que a Record teria sido fundada por Edir Macedo (Paulo Machado de Carvalho revira até agora em sua sepultura). 
BV

Descrição da imagem: desenho em preto e branco onde um crucifixo aparece na tela de uma TV tendo à sua frente uma pessoa que une suas mãos (talvez em oração, talvez para não ter que dar mais pro pastor)

Projeto fecha brechas da lei que fizeram surgir 'mercado paralelo' no setor
Governo sinaliza para o avanço da TV interativa e abre espaço para emissoras cobrarem pela conexão à internet
JULIO WIZIACK
DE SÃO PAULO

O governo federal prepara um pacote de medidas para fechar brechas da legislação de rádio e TV que permitiram o surgimento de um "mercado paralelo" ligado às concessões no país. A Folha teve acesso à última versão da minuta do decreto, que foi batizado pelo setor de "novo marco regulatório da radiodifusão".
Uma das mudanças de maior impacto é a proibição expressa do aluguel de canais e de horários da programação de rádio e TV. A lei atual não proíbe a prática de forma explícita, o que permitiu o aumento de programas religiosos e exclusivamente comerciais, principais clientes desses horários.

No fim de 2011, a Igreja Internacional da Graça de Deus, do missionário R.R. Soares, por exemplo, alugava duas horas e cinco minutos semanais na Bandeirantes. Na Rede TV!, o apóstolo Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, comprava cerca de dez horas e meia semanais. A rede de farmácias Ultrafarma ocupava quatro horas e meia com propagandas. Na TV Gazeta, o Polishop detinha dez horas semanais para anunciar seus produtos.

Os dados são do mais recente levantamento do Intervozes, organização que monitora a programação no país. Segundo a entidade, poucas são as emissoras que não entraram nesse negócio. Globo e SBT estão entre elas. A Record é um caso isolado porque seu fundador, Edir Macedo, também é o responsável pela Igreja Universal do Reino de Deus. Segundo o Intervozes, a Record diz não ceder seu espaço a terceiros, mas não explica se paga pelos programas religiosos veiculados, uma forma de se enquadrar à legislação. Na TV Gazeta, são 26 horas semanais destinadas aos cultos da igreja. 

INVERSÃO
O Ministério das Comunicações não quis comentar as mudanças e informou que o "novo marco" ainda será colocado em consulta pública. Caso o decreto seja sancionado como está, obrigará as emissoras a comprar os programas produzidos por terceiros -ao invés de receber pelo aluguel, como hoje. Consultadas, as principais redes não se pronunciaram. Apesar dos avanços, o governo não define os mecanismos que serão criados para fiscalizar a prática de eventuais irregularidades. 

CONTRAPARTIDA
Ao acabar com o "mercado paralelo", o governo cortará uma importante fonte de receita, mas, em troca, permitirá que as emissoras prestem serviços de dados -atividade restrita às empresas de telecomunicações.
Hoje, as emissoras só podem fazer caixa com a venda de espaço publicitário -que pode ocupar, no máximo, 25% da programação.

Ao permitir a comercialização do serviço de dados, o governo sinaliza para a expansão da TV digital no país e do sistema de interatividade que conecta a TV à internet. Esse serviço permitirá ao telespectador comprar produtos anunciados durante a programação clicando diretamente na TV. É essa conexão que poderá ser cobrada.

sábado, 2 de junho de 2012

Documento da Fiocruz critica programa antiaids do País

Ufa... Então os radicais que não queriam saber de movimento organizado e, sim, de baderna e holofotes... Bem, parece que não eram tão radicais assim e agora contam com uma subscrição oficial a seus gritos de anos e anos. A estratégia brasileira de enfrentamento à epidemia de AIDS tem retrocedido por culpa de um governo que escorrega em seus princípios mais que quiabo na chuva e de um movimento social que não faz juz à fama de 'o mais resolutivo dos últimos tempos no país'.
A Cidade Mundo iria virar cidade mundo cão, isso foi avisado no encerramento do Congresso de Floripa em 2008. Enfim, a casa caiu.
Beto Volpe
Descrição da imagem: casa de três andares e telhadinho rosa tombada de lado, talvez pela força de um furacão ou pela estratégia Cidade Mundo Cão.
LÍGIA FORMENTI / BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo
Anos depois de despertar elogios no cenário internacional e ser apontado como modelo, o programa de DST/Aids brasileiro foi criticado por publicação do próprio governo. Documento da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e da Secretaria de Assuntos Estratégicos, integrante do projeto Saúde Brasil 2030, afirma que o programa "arrefeceu" O documento, que faz parte do projeto Saúde Brasil 2030, recomenda: "É preciso correção de rumos do programa." 

A publicação indica que o atendimento de pacientes de aids agora é feito em serviços superlotados, o número de novas infecções não baixa e grande número de pacientes recebe um diagnóstico tardio da infecção. "Ao contrário do que se tem observado em outros países que também instituíram programas de acesso universal ao tratamento e têm observado queda na incidência de novas infecções, o Brasil não tem conseguido diminuir a incidência do HIV/Aids", avalia o documento.

A publicação condensa textos de 37 especialistas, reunidos com a tarefa de fazer diagnósticos de problemas enfrentados na área de saúde e as perspectivas para os próximos 20 anos. "Procuramos retirar todo o viés político da análise", afirma José Carvalho de Noronha, que organizou o documento. 

Desatualizados. Para o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa - e um dos colaboradores da publicação - , os dados estão desatualizados. "O documento afirma que a epidemia está estacionada em níveis elevados. Nos últimos três anos, passamos a assistir uma tendência de redução", afirmou. Ele reconheceu que parte dos serviços de atendimento está superlotado - o que, para ele, é resultado da eficácia do programa.  "Novos serviços serão abertos. Além disso, pacientes que estão em boas condições podem ser tratados na atenção básica."

Mário Scheffer, presidente do Grupo Pela Vidda, concorda com a análise feita pelo texto da Fiocruz e SAE: "Há muito já fazemos esse diagnóstico. O programa retrocedeu e precisa corrigir a rota", avalia. Ele afirma que serviços de aids perderam qualidade porque estão superlotados. E concorda com a necessidade de reduzir o diagnóstico tardio. "E eu acrescentaria um outro grave problema: o programa não dá resposta à epidemia concentrada em alguns grupos, particularmente com os homossexuais que, por opção política do governo, têm sido negligenciados nas ações de prevenção", completa.