Follow by Email

Total de visualizações de página

Sou muito humorado. Se bem ou mal, depende da situação...

Em 1989 o HIV invadiu meu organismo e decretou minha morte em vida. Desde então, na minha recusa em morrer antes da hora, muito aconteceu. Abuso de drogas e consequentes caminhadas à beira do abismo, perda de muitos amigos e amigas, tratamentos experimentais e o rótulo de paciente terminal aos 35 quilos de idade. Ao mesmo tempo surgiu o Santo Graal, um coquetel de medicamentos que me mantém até hoje em condições de matar um leão e um tigre por dia, de dar suporte a meus pais que se tornaram idosos nesse tempo todo e de tentar contribuir com a luta contra essa epidemia que está sob controle.



Sob controle do vírus, naturalmente.



Aproveite o blog!!!



Beto Volpe



sábado, 3 de dezembro de 2011

Chuvas, lágrimas e comemorações

Pessoal, eu ia escrever um artigo para falar sobre o dia de hoje, Dia Mundial da Pessoa com Deficiência. Mas ao deparar com esse texto de Mariana Reis resolvi dar asas a ótica tão clara e tão carregada de sentimentos e de otimismo.
Beto Volpe

Descrição da imagem: paisagem rural e silhuetas de árvores sob um céu carregado de nuvens ameaçadoras, porém apresentando um rasgo por onde vários e auspiciosos raios de sol atingem a terra.

A chuva não negocia com os Capixabas e principalmente, comigo. Passo os dias com a dor inesgotável ( que muitos já sabem) e ainda tenho que suportar a pressão constante de um céu cinza, carregado e de muitos mergulhos. Apesar de ser solar, não consigo - ainda - enxergar o sol interior como minha amada Soraya Ruffo me recomendou. Como a chuva, as lágrimas não cessam. Mas, porém, contudo, todavia, hoje estou com a alma mais leve depois de REencontrar amigos e fazer novos, em audiência pública em homenagem ao dia Internacional de luta da pessoa com deficiência. Foi a minha primeira aparição em público nesses últimos dias. Saber que meu amigo Claudio Vereza está firme e forte me fez sorrir ainda mais.
No entanto, é preciso estar atento para algumas iniciativas equivocadas, como por exemplo pessoas que vão lá na frente falar de um assunto sem saber absolutamente nada sobre.Para falar bobagens é melhor que não tenha ninguém.

Uma tônica nas falas das pessoas que acham que estão no movimento, é sobre as desgraças vividas pelas pessoas com deficiências (desgraças = sociedade despreparada = sociedade deficiente. Nada a ver com a Pessoa), da vagareza de algumas ações, etc... Sempre o pessimismo em primeiro lugar. Ora, estamos diante de grandes conquistas na área. 30 Anos do Ano Internacional da Pessoa com Deficiência (deflagrado pela ONU em 1981), motivo de grande comemoração, pois pessoas e representações já estavam e estão há décadas acordados para os nossos direitos, o Plano Nacional assinado pela Presidenta no último dia 17, que visa ações em diversas áreas, a Convenção Internacional,  são algumas delas. O Plano  Nacional coloca a pessoa com deficiência como prioridade de governo. Fruto de uma luta de TODOS os movimentos (física, visual, auditiva, intelectual e múltiplas). E por aí vamos..  Será que podemos inverter a ótica?? Ou seja, tirar as pessoas da exclusão (que ainda tem muitas) sem envernizar/infernizar o discurso? Isso também significa dizer que temos muiiiiito trabalhho a fazer. Vamos lá!! Possibilidades e perspectivas: aqui, agora e sempre.

Meus parabéns a todos da Matrix, chumbado, com deficência, ou como quiserem ser chamados, pela batalha que temos diariamente para saírmos da passividade, para mostrármos que não somos minoria, aliás, o censo já tráz 45 MILHÕES no Brasil com algum tipo de deficência. Bora ocupar todos os espaços! Vamos inventar coragem!! E cuidado: Igualdade de oportunidades, não é a mesma coisa que oportunidades iguais!!

Valeu 3 de Dezembro!!
Valeu pessoas!
Beijos!

Mariana Reis

Nenhum comentário:

Postar um comentário