Follow by Email

Total de visualizações de página

Sou muito humorado. Se bem ou mal, depende da situação...

Em 1989 o HIV invadiu meu organismo e decretou minha morte em vida. Desde então, na minha recusa em morrer antes da hora, muito aconteceu. Abuso de drogas e consequentes caminhadas à beira do abismo, perda de muitos amigos e amigas, tratamentos experimentais e o rótulo de paciente terminal aos 35 quilos de idade. Ao mesmo tempo surgiu o Santo Graal, um coquetel de medicamentos que me mantém até hoje em condições de matar um leão e um tigre por dia, de dar suporte a meus pais que se tornaram idosos nesse tempo todo e de tentar contribuir com a luta contra essa epidemia que está sob controle.



Sob controle do vírus, naturalmente.



Aproveite o blog!!!



Beto Volpe



quinta-feira, 24 de novembro de 2011

CURA EM AQUÁRIO


Descrição da imagem: Um espetáculo de homem trajando apenas uma pequena bandagem sobre as partes pudendas, entornando sobre o mundo a água do Cântaro da Vida. Ao fundo, num céu infinito, brilha a constelação de Aquário.

Todo dia primeiro de dezembro as pessoas lembram que existe uma epidemia em curso e uma luta ferrenha contra ela. Às vezes, quando filosofo sobre a luta contra a AIDS nesse novo contexto de humanidade, parece que tudo está fadado ao insucesso. Não bastasse a severa e crescente reação de nosso planeta às agressões que temos lhe perpetrado ao longo do último século, vemos o ser humano tratando seus pares como se fossem inimigos, seja no trânsito, na família ou nos movimentos sociais. A história das coisas está sendo absolutamente desprezada como se tudo já viesse pronto, em um neo criacionismo que tudo absorve sem questionamentos e tudo descarta ao primeiro sinal de desgaste, seja o carro da sua vida ou o amor eterno. Isso provoca um desânimo que por vezes dá a impressão de que todo o trabalho é inútil, o que contrasta demais com a visão de futuro que sempre tive, baseada em uma ciência evoluída e pessoas solidárias se amando sob as influências de Aquário.

E quando tudo parecia estagnado vem esse ano de 2011, um ano quase tão especial quanto 1995, com o anúncio da descoberta do coquetel que controlava a infecção pelo HIV. Neste ano que finda a ciência nos brindou com uma série de descobertas e iniciativas que nos renova, em muito, as esperanças de ver a cura da AIDS e o fim desse grande pesadelo para nossa raça. O melhor disso tudo é que a maior parte delas passa ao largo, para não dizer à frente, da medicina do século XX, baseada em medicamentos e seus efeitos colaterais. Revolucionárias tecnologias trazem à luz novas perspectivas e razões de sobra para acreditar que sim, o futuro pode ser evoluído, cooperativo e aquariano.

Pesquisadores de uma empresa californiana anunciaram estudo onde através da terapia genética foi possível bloquear o vírus fora das células de defesa, eliminando a necessidade de medicamentos para o resto da vida. A toda poderosa da informática tem estudo avançado para produção de vacina utilizando a tecnologia anti-spam, numa clara demonstração de que Aquário já faz sentir sua regência. Ainda este ano foi melhor repercutido o caso de cura obtida através das células tronco baseada nas reminiscências da Peste da Idade Média. Olha Aquário aí de novo! Mas de todas as novidades a que mais chama a atenção é um jogo on-line de nome 'Foldit' (dobre-o, en inglês), através do qual cientistas voluntários resolveram em três semanas um grande dilema sobre o amadurecimento e proliferação do vírus HIV que a ciência não conseguia desvendar havia doze anos.

Dois são os diferenciais para resposta tão eficiente e rápida, um deles é o fato de existir cooperação entre os jogadores em muitas fases do processo, ao contrário da lógica competitiva na qual as pessoas vivem mergulhadas desde crianças. A outra se resume na frase de seu idealizador, Firas Khatib da Universidade de Washington: "Nós queríamos ver se a intuição humana poderia ter sucesso onde os métodos automáticos falharam.". E, seguindo outro sentimento meramente humano e atual, os jogadores já estão mega ansiosos para as próximas partidas que envolverão, inclusive, pesquisas para a vacina e a cura da AIDS.

Nesse Dia Mundial de Luta contra a AIDS desejo que os cientistas joguem muito, mas muito mesmo! Usem todo o conhecimento humano nessa nova maneira de ser e estar, que é a colaboração global e a intuição humana como componente básico da ciência. Demonstrem ao mundo que tudo e todos somos frutos de evolução, nada é criado e muito menos descartado. E que é possível, sim, um futuro baseado em uma ciência evoluída e pessoas solidárias se amando sob as influências de Aquário e transmitindo todo esse arsenal para quem virá. E que a juventude, herdeira dessa riqueza de conhecimento e geradora de transformações mais grandiosas ainda, não se esqueça que o descarte do passado é o risco presente de um desastre futuro. Os jovens estão no topo da preocupação mundial com relação à AIDS e não é por acaso. Portanto, jovens, em sociedade como na rede, atualize e use seu antivírus pois muito provavelmente sairá da cabeça de vocês a cura da AIDS. Quando a Lua estiver na sétima casa e Júpiter se alinhar a Marte. Então a paz guiará os planetas e o amor dirigirá as estrelas.

Que esse Dia de Luta contra a AIDS não seja apenas de lembranças, mas de muita reflexão para os casais e para o povo da balada.
De reconhecimento para com o trabalho dos cientistas que tanto têm feito pela humanidade.
De humildade para que gestores e sociedade civil organizada em AIDS para mudanças de posturas e prioridades perante uma epidemia ardilosa que não se acomoda nunca.
De esperança para a juventude que nunca teve tanto acesso a informações. Que façam bom uso delas.

Beto Volpe

4 comentários:

  1. Elizabeth dos Santos Berto27 de novembro de 2011 11:48

    Beto, Querido!
    Nós, Educadores do Brasil, agradecemos sua sempre pronta contribuição nos ensinamentos, depoimentos e alertas dessa epidemia, a qual você é vencedor!
    Meu abraço fraterno à você, que acompanho há anos, desde 1990.
    Muito obrigada, pois através de seus depoimentos/aulas aprendemos, multiplicamos e vamos contruindo uma rede de proteção à nossos adolescentes e adultos.
    Obrigada, meu amigo!
    Grande Beijo1
    Beth

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Beth. Fica muito mais fácil quando finalmente enxergamos um sentido tanto no gozo quanto na angústia. Beijãozão!!!

    ResponderExcluir
  3. Beto, tenho prova da faculdade daqui a pouco, mas ao ler um pouco da sua história me veio uma obsessão de ler tudo sobre sua história. heheeheh
    Eu, mesmo depois de 5 anos de infecção, ainda me pergunto o porque de tudo isso. Um dia chego na perseverança e amor a vida que pessoas como você trazem no coração. Desde já sou seu admirador. Muita saúde e felicidades. Um forte abraço.


    Bruno.

    ResponderExcluir
  4. Bruno, nada é do dia pra noite, eu levei dez anos pra me estabilizar e enxergar a epidemia e mikha própria vida com os olhos que tenho hoje. Beijão, fica bem e mantenha contato.

    ResponderExcluir