Follow by Email

Total de visualizações de página

Sou muito humorado. Se bem ou mal, depende da situação...

Em 1989 o HIV invadiu meu organismo e decretou minha morte em vida. Desde então, na minha recusa em morrer antes da hora, muito aconteceu. Abuso de drogas e consequentes caminhadas à beira do abismo, perda de muitos amigos e amigas, tratamentos experimentais e o rótulo de paciente terminal aos 35 quilos de idade. Ao mesmo tempo surgiu o Santo Graal, um coquetel de medicamentos que me mantém até hoje em condições de matar um leão e um tigre por dia, de dar suporte a meus pais que se tornaram idosos nesse tempo todo e de tentar contribuir com a luta contra essa epidemia que está sob controle.



Sob controle do vírus, naturalmente.



Aproveite o blog!!!



Beto Volpe



sábado, 12 de março de 2011

Carta aberta para Sandy

Por Tica Moreno*

Pessoal, lá vai um texto que achei bem interessante. Ainda pela Semana da Mulher. Há muita controvérsia, mas é disso que é feita a evolução, não?
Beto Volpe
Descrição da imagem: foto de Sandy com camiseta da cerveja em referência.

Quando eu estava no ensino médio, você fez um desserviço pras meninas da minha idade, que é a mesma idade que a sua.Foi a época da “garota sandy“: uma jovem, bonita, magra, de cabelo liso, a filha que todo pai e mãe queria ter, rica…. e virgem. E que afirmava que queria casar virgem.A garota sandy era aquilo que nenhuma de nós éramos, mesmo que a gente tivesse uma ou outra característica dessas aí de cima. A verdade é que a gente nem queria ser daquele jeito.Foi a primeira vez (que eu me lembre) que eu me vi sendo comparada com um modelo de mulher que eu não queria ser. E eram os outros que nos comparavam. Aí a gente foi se sentindo inadequada, umas mais, umas menos.Qual era (qual é) o problema de não casar virgem? (Isso pra não perguntar qual é o problema de não querer casar…)Você não acha um problema de fato, até porque há alguns anos você afirmou que não tinha casado virgem. Fico até aliviada por você, porque imagina se não fosse bom com seu marido? Ainda mais se a relação de vocês for monogâmica e conservadora… Não desejo uma vida sem orgasmo nem pro meu pior inimigo.Mas voltando. O padrão “garota sandy” não foi uma reportagem qualquer que saiu na revista da folha. Reforçou um padrão que faz com que a anorexia e a bulimia estejam entre as principais doenças de jovens mulheres, que faz com que milhões de meninas e mulheres vivam sua sexualidade a vida inteira de forma passiva, em função do desejo e do prazer do cara, que faz as meninas e mulheres que são donas do seu desejo serem consideradas vadias, vagabundas, putas, devassas.O machismo faz isso: separa as mulheres entre santas e putas, “valoriza” as santas e puras e desqualifica, discrimina, violenta as “putas”.Deve ter algum motivo pra você se afirmar como santa, e não como puta, numa época da sua vida.E daí eu vou te dizer, caso você ainda não tenha entendido o porquê dessa carta aberta, seu segundo desserviço pras mulheres. Ser a nova garota devassa.Pra quê?? De dinheiro você não precisa.Você não estudou psicologia? [Não, me disseram aí nos comentários que ela estudou Letras, mal aê - mas eu lancei um google e vi que na época do meu ensino médio, de onde eu tirei a memória pra escrever esse post (ano 2000), circulou ainformação da psicologia, rs.] Deveria ter aprendido alguma coisa sobre sexualidade teoricamente, além da prática (que, de novo, espero que seja boa pra você).Nem as santas, nem as putas, são donas do seu desejo, do seu corpo, da sua sexualidade. O símbolo da devassa, e o imaginário que essa cerveja construiu – e que você vai propagandear – é o de uma mulher feita nos moldes do que a maioria dos homens tem tesão por. Importa o tesão deles, e não o nosso.As revistas femininas (e as masculinas) fazem isso também. Sabe aquelas dicas da Nova pra fazer qualquer mulher deixar qualquer homem louco na cama? Então. É o mesmo machismo, a mesma submissão.Você de alguma forma tá querendo apagar a imagem de santa, usando a idéia de que você pode ser devassa?Vou te dar um conselho… de mulher pra mulher: você não precisa ser santa, nem puta. Você pode ser livre.

* Tica Moreno é formada em Ciências Sociais, foi do DCE da USP e do Centro Acadêmico de Ciências Sociais (CEUPES). Atualmente trabalha na Sempreviva Organização Feminista, SOF. Tica é militante da Marcha Mundial das Mulheres.

8 comentários:

  1. Concordo com muita coisa do que você disse, mesmo que eu tenha idade para ser mãe da Sandy. Mas acima de tudo acho uma bobagem essa campanha porque associar a cantora a qualquer cerveja me parece, a princípio, inadequado. Mas a agência inegavelmente marcou um gol: todo mundo só fala nisso!

    ResponderExcluir
  2. Discordo totalmete deste post, embora valorize a iniciativa do escrevente de expor sua opnião. A Sandy como qualquer outra mulher pode sim ter a vontade de se casar virgem, embora depois, não tenha realizado este desejo, pois, fez sexo antes do casamento e aí novamente por desejo dela. Por que ela tem obrigatoriamente seguir o imposto pela nova geração de pensadores sobre sexo? Por que esta ditadura de dizer que agora "não" se pode casar virgem ou expressar este desejo que ela sentiu? e a liberdade dela de fazer o que desejar com o corpo?
    E quanto a anorexia e bulimia? Sandy sempre foi magra, nunca esquelética como modelos da época (Luciana Vendraminni, por exemplo) e o artigo dá a entender a que a suposta "Garota Sandy" tinha que ter como amigas a"Ana e a Bia" ? Perdoe-me chega ser calunioso.
    Você também diz que era comparada a uma mulher que não queria ser, este esteriótipo foi criado por voicê para você mesma, ninguém te comparou a nada, você que ao que parece, inconcientemente repudiava a figura criada da Sandy pela mesma ditadura citada acima.
    E se agora ela quiser ser "puta"? Não é um direito dela também?
    Ela não precisa ser santa nem puta, ela deve ser o que ela quiser e sem dar satisfações a ninguém!E é o que la está fazendo agora!
    Tica Moreno, este seu post é um dois mais machistas que li ultimamente! Sorte pra você e para sua vida sexual!

    ResponderExcluir
  3. Achei simplesmente RIDICULO este comercial a Sandy não tem nada aver com cerveja sempre pregou o puritanismo e agora quer se mostrar Devassa. Totalmente fora do contexto. E dançando magrela daquele jeito parece ate uma largartixa!!!

    ResponderExcluir
  4. E se a Sandy é assim mesmo? E se ela tivesse casado virgem. É dela mesmo. Ela usa se quiser, ninguém tem nada com isso. Por que a coitada da carta quer seguí-la? Não tem opinião própria? Quantos artistas tão lá levantando o copo do Cervejão? Eu hein.. Bebe quem quer... A Sandy mesmo disse que não gosta do sabor de cerveja. Deixa a mulher ganhar $$$. É a velha história... Pagando bem...

    ResponderExcluir
  5. Pessoal, ja convidei a autora do texto para apimentar ainda mais o debate. Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Parece que acabaram os comentários, mas a autora pretendeu certamente dismistificar o uso da imagem pela mídia comercial.
    E essa historia de cerveja e mulheres já é antiga.
    Proponho que agora refaçam os comerciais, coloquem muitos homens, carecas, barrigudos, com cara de sapo, maniáticos, e induzam às mulheres deles, que devem beber cerveja para esquecer.
    É mais ou menos isso o que estão fazendo hoje, colocam modelos de bumbuns arrebitados,muitos seios, em biquinis. Sempre tem um homem e várias mulheres ( vamos lá esse é o sonho de todo latino, ou cara com problema de tesão )e de certa forma querem dizer: já que a dona aí do pedaço não é assim, beba para esquecer....

    Tá na hora de mudar o clichê.
    Nós mulheres somos em maioria no Brasil!!!
    Vamos beber para esquecer quem são nossos homens.

    Taí o que autora quis dizer, que a Sandy seguiu à regra banal e comum....

    Quanto a Sandy, ela está sim prestando-se ao modelo vigente e engessado, uma vez que recebe e muito por fazer o que dizem para ela que é o que deve ser feito.
    Não tem neurônios, para dizer não!
    Tem gente que tem dinheiro e mesmo assim vende idéias e pressupostos apenas por mais dinheiro.

    Que a mocinha aí só sabe ver a cor do dimdim é um fato. E parece que para a maioria das pessoas é o que interessa: dinheiro!

    Que é desserviço não há dúvida!
    A todas nós mulheres.

    ResponderExcluir
  7. Concordo contigo, Gisleine, está mais do que na hora de mudarmos os perfis, acabarmos com os clichês para que ninguém tenha que beber pra esquecer, e sim para celebrar. A auto regulamentação publicitária tem como uma de suas orientações a não exploração do desejo sexual e dos esportes em propagandas de bebidas. E taí Mano Menezes e as gostosas pra provar o contrário.... Afe...

    ResponderExcluir
  8. O mundo anda tão corformado com o bizarro que nem sabe mais o que lhe convém..Declarar os valores morais numa época de liberdade,(ou libertinagem?)causa esse tipo de comentário.Agora ,a moça,Sandy não convenceu de ser devassa rs....E não é á ela que devemos atacar,e sim contra aqueles que proclamam a imoralidade como "comum" ou "normal".Um bom palpite,é estudar as escrituras..Ela contém um intenso manual de valores,inclusive morais..Ao invés de atacar a moça citada,Pesquise no "manual" Do Criador tudo o que se pode e deve ser feito em relação ás "putas","santas","devassas""sonsas",etc...

    ResponderExcluir