Follow by Email

Total de visualizações de página

Sou muito humorado. Se bem ou mal, depende da situação...

Em 1989 o HIV invadiu meu organismo e decretou minha morte em vida. Desde então, na minha recusa em morrer antes da hora, muito aconteceu. Abuso de drogas e consequentes caminhadas à beira do abismo, perda de muitos amigos e amigas, tratamentos experimentais e o rótulo de paciente terminal aos 35 quilos de idade. Ao mesmo tempo surgiu o Santo Graal, um coquetel de medicamentos que me mantém até hoje em condições de matar um leão e um tigre por dia, de dar suporte a meus pais que se tornaram idosos nesse tempo todo e de tentar contribuir com a luta contra essa epidemia que está sob controle.



Sob controle do vírus, naturalmente.



Aproveite o blog!!!



Beto Volpe



quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Fuck the Pope !

Descrição da imagem: manifestação por direitos civis com dois belos jovens empunhando uma faixa com os dizeres: Fuck the Pope... but use a condom (que se foda o Papa ...mas use camisinha, em tradução livre)

Quem diria que nós, povo do arco íris, seríamos um dia considerados uma ameaça à sobrevivência da humanidade. Acho que nem a bicha mais doida do mundo, que mora aqui em São Vicente, conseguiria delirar tamanho poder dado a pessoas que, ao contrário das recentes palavras do Papa Bento 16, estão constantemente sob ameaça de extermínio através de facas, lâmpadas e porretes, de plenários, altares e púlpitos. Nossa felicidade é tão poderosa que trará o infortúnio ao povo de Deus. Já não são mais os comunistas nos anos da ditadura militar que vivem nos armários e comem criancinhas. São os gays e lésbicas que têm como meta o desvirtuamento grave da moral e dos valores éticos das futuras gerações. As travestis e transexuais, então, nem pensar. Devem se recolher à zona do meretrício, que é o lugar delas!

Só mesmo uma louca desvairada como Sua Santidade para anunciar o fim da família e da humanidade caso os casamentos gays continuem a ser legalizados pelos povos e nações. Ele se esquece que as diversas orientações sexuais, afetivas, de gênero e toda a diversidade que compõe a sexualidade humana.estão presentes desde os primórdios da civilização e que em muitos períodos, alguns deles os mais férteis em avanços sociais, culturais, filosóficos e humanos, eram apenas características e não estigmas. As pessoas eram respeitadas ao invés de serem discriminadas.

Ao passo que, se formos elencar os crimes contra a humanidade perpetrados pela Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana, eles são de fazer Hitler corar de vergonha por seu trabalho mal executado. Negros, indígenas, judeus, gays, protestantes, pessoas com HIV e tudo aquilo que afronta a moral e os bons costumes deve ser jogado às câmaras de tortura da inquisição, ao extermínio ou diáspora de seus povos ou ao doloroso e invisível exílio dentro de nossa própria comunidade, parias que somos na sociedade de castas cristãs.

O que nós queremos é o básico do básico: dignidade e respeito. Não estamos lutando por privilégios e brilho, isso já trazemos como nossas características. Muito menos queremos o poder, queremos é poder viver tranqüilos e em paz com todas as demais orientações e sermos felizes junto à pessoa amada. Não consigo imaginar Jean Willys como ditador da República Homossexual do Brasil, onde o sexo heterossexual será permitido apenas para a procriação e sob supervisão do Estado. Como não consigo ver escolas para doutrinação de crianças comandadas por gays, isso é típico das igrejas e dos estados totalitários.

Fico sempre lembrando daquela bicha mais doida do mundo pegando um microfone e anunciando para a burguesia do litoral paulista que o mundo era gay e que a sociedade teria que nos engolir. Primeiro, o mundo não é gay e nem hétero, ele é diverso e é na diversidade que qualquer espécie viva se perpetua. Assim como o casamento gay amplia o leque e dá à tal 'instituição falida' novas características e, por que não, um novo charme. E depois, meu bem, eu não quero ser engolido, prefiro ser comido e com muita dignidade e respeito! Ademais, não são bem os comunistas e gays que andam por aí comendo criancinhas e que volta e meia aparecem entre noticiários e pedidos formais de desculpas.

Até o ateu mais convicto concordaria que se existe um Deus onipotente, onisciente e onipresente, Ele estará mais preocupado com o amor ao próximo e com a solidariedade do que com o julgamento e a condenação de transitoriedades tão íntimas do ser humano.

Fuck the Pope !

Beto Volpe

Um comentário: