Follow by Email

Total de visualizações de página

Sou muito humorado. Se bem ou mal, depende da situação...

Em 1989 o HIV invadiu meu organismo e decretou minha morte em vida. Desde então, na minha recusa em morrer antes da hora, muito aconteceu. Abuso de drogas e consequentes caminhadas à beira do abismo, perda de muitos amigos e amigas, tratamentos experimentais e o rótulo de paciente terminal aos 35 quilos de idade. Ao mesmo tempo surgiu o Santo Graal, um coquetel de medicamentos que me mantém até hoje em condições de matar um leão e um tigre por dia, de dar suporte a meus pais que se tornaram idosos nesse tempo todo e de tentar contribuir com a luta contra essa epidemia que está sob controle.



Sob controle do vírus, naturalmente.



Aproveite o blog!!!



Beto Volpe



terça-feira, 4 de junho de 2013

Filhos da puta desnaturados

Descrição da imagem: em fundo preto e com letras vermelhras a inscrição 'Keep Calm o caralho, FILHO DA PUTA, ironizando propaganda de uísque.
 
- Mas é tudo um bando de filhos da puta, mesmo!
 
Não é de hoje que essa frase é usada por quase todo brasileiro e brasileira quando esses se referem a assuntos como política nacional e, mais recentemente, a governabilidade do Estado. O sistema político brasileiro permite aberrações que vão muito além dos inflamados discursos pro e contra felicianos, maggis e campos, e também de genuínos, azeredos e dirceus. Interfere em assuntos eminentemente técnicos, como a área de DST/AIDS do Ministério da Saúde, cancelando ações planejadas e elaboradas em parceria com renomados organismos internacionais, incluindo a própria ONU e contribui para o aumento da vulnerabilidade das populações envolvidas. Foi assim com as peças publicitárias para o público gay durante o carnaval, continuou com a suspensão da distribuição de um conjunto de cartilhas voltadas para o público adolescente e consolidou-se como regime de exceção ao vetar a campanha 'Sou feliz sendo prostituta', alusiva ao Dia da Prostituta ocorrido no último dia 02 de junho. Isso lá é compartamento de filho?
 
Primeiramente quando a gente diz 'filho da puta' não está querendo ofender as dignas profissionais da noite, das mais valorosas em nossa sociedade pois são muito mais que amantes, são psicólogas, amigas, alguém que nos ama incondicionalmente, desde que paguemos adiantado, claro. É como 'viado', hoje em dia não significa mais gay; ser viado é fazer a conversão no trânsito sem dar seta, falar com seu rádio alto no meio do restaurante, é ser inconveniente. Quando dizemos 'filhos da puta' estamos querendo dizer criaturas execráveis, que em nome de seu jogo sujo de poder colocam em risco a vida de milhares de pessoas, postas às margens da sociedade, com uma canetada que outrora sacramentava a universalidade, a integralidade e a equidade, pilares do Sistema Único de Saúde. Claro que também não nos referimos às mães de nossos gestores e representantes no cenário federal. Por mais que elas devam ter dado sua contribuição para que o mal se propagasse em forma de figura pública, não é justo que se coloque toda a culpa na mãe, apesar de Freud.

Descrição da imagem: Anivaldo ladeado por mim e Cláudio Monteiro em Votuporanga.
 
Pois bem, começando por quem assumiu a responsabilidade pela censura, o Ministro da Saúde Alexandre Padilha, não lhe conheço a mãe, mas conheço um pouco seu pai, o brilhante Anivaldo Padilha, notório atuante da Comissão da Verdade, desde a luta por sua implementação, torturado e exilado político durante os anos de chumbo da ditadura militar. Tenho por este uma incrível admiração por sua coerência e clareza de idéias de justiça e liberdade, sendo que tivemos a oportunidade de realizarmos uma oficina de prevenção em DST/AIDS em conjunto com Cláudio Monteiro, outro irmão de fé. E me pego imaginando o quão constrangedor para Anivaldo saber o que estão falando da mãe de seu filho, repito, por mais que não seja ela o alvo. Mas é muita filha da putice tornar a censura uma prática em sua pasta e ainda alegar 'bom senso' no Twitter. O bom senso hitleriano em queimar livros que iam de encontro aos princípios do Reich. O bom senso dos generais da ditadura militar brasileira, os mesmos que estão sendo desnudados por seu pai, senhor ministro. Qual será o próximo passo de seu ministério? Financiar ações da sociedade civil desde que não tenham como público alvo prostitutas e usuários de drogas e que não mencionem preservativos como forma de prevenção? Isso é bem possível de acontecer, basta lembrar que durante o recente governo republicano essa era a prática nos Estados Unidos, 'terra da liberdade'.

 
Mas nem toda censura parte do executivo, o parlamento brasileiro vem se mostrando mestre na implantação de uma ditadura representativa em nossa pátria, mãe gentil e puta. Pequenos, porém organizados grupos conservadores, estão alcançando posições em espaços estratégicos e dando encaminhamento às suas demandas de um 'deus' excludente, chamado poder. É inocente quem acredita que esses seres do mal, pastores, bispos e apóstolos falam em nome de um deus que cultua o amor e a família, como querem que acreditemos. São hárpias da felicidade alheia, subjugando a mulher, amaldiçoando o negro, excluindo o povo do arco íris de qualquer atenção pública e culpabilizando as pessoas com deficiência por sua condição, supostamente de inferioridade com relação ao 'povo de deus'. Povo de Deus, quanta soberba jorra das vísceras purulentas desses piratas dos tempos modernos, que mantêm patrimônios milionários, estupram suas fiéis e que ostentam o título de bancada mais faltosa e processada do Congresso Nacional. 'Raça de víboras! Sepulcros caiados de branco!!'
 
 
Agora, se formos pensar em filha da putice, não podemos deixar de lado o grande artífice desse jeito filho da puta de governar: o Partido dos Trabalhadores. Aqui também é bom deixar claro que o PT é apenas o partido da ocasião, poderia ser qualquer outro. Sim, porque no Brasil não existe situação e oposição, apenas a ocasião, que é quem faz o ladrão. O mesmo ocorreu durante a corte tucana, ocorrerá com o PSB, com o PMDB, com o PQP. O Partido Que o Pariu. Mas jamais seria de se esperar que um partido fundamentado por pilares de terra, trabalho e liberdade se alinharia com as bancadas ruralista e evangélica, como se fossem grandes suas afinidades, cuspindo na cara de quem o elegeu e causando enormes retrocessos nas políticas públicas inclusivas em nossa pátria, mãe gentil e puta. Sim, nossa pátria é nossa maior puta. É ela quem nos ama, que nos dá a condição de brasileiros e brasileiras, grandes filhos de filhas da puta, que não aguentam mais ver a forma como nossa mãe é tratada, sendo usada, abusada e lambusada por uma verdadeira corja que se instalou no poder e que acredita que Deus é um projeto de governabilidade viável, como foi a tomada do poder pelo proletariado no Irã dos anos 70, resultando no que sabemos ser o Irã, hoje.
 
Filhos e filhas da puta de todo o Brasil, uni-vos! Sua mãe chora sua redenção, clama pela luz do dia, anseia pela liberdade predominando em seus risonhos, lindos campos e em seus bosques com mais vida e mais amores.
 
Puta amada, Brasil.
 
Beto Volpe
 
 

Um comentário: